segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Preparativos


Bom, depois de vermos que havia o mestrado aqui em Coimbra e que poderíamos ser aceitos, tínhamos que correr atrás da papelada. E quando falo "correr atrás" não é uma figura de linguagem.

As pessoas não têm noção da burocracia que é para estudar fora do país!!!

Vamos lá por partes:

- por sorte aqui fala-se português, pois se não fosse, de primeira teríamos que vender um rim para pagar um tradutor juramentado para traduzir tudo quanto é documento para a língua oficial do país onde iríamos (lembra, queríamos ir para o Canadá ou Inglaterra de início... imagina o preju!). No nosso caso, sem traduções. 

- o bizarro: TODOS os documentos têm que ser autenticados em cartório. Isso mesmo, sabe aquelas zilhões de assinaturas que há lá no seu diploma? Pois é, aquela gente toda tem assinatura em algum cartório. E a sua assinatura terá que ser reconhecida!!! Quase surtei quando vi isso! Meu diploma tem quase 20 anos, os caras que assinaram acho até que já morreram! Onde diabos vou reconhecer essas assinaturas, pensei eu??! Pois é, ligando para a universidade, ninguém sabia dizer. Por sorte, no meu caso o meu diploma sendo do Rio de Janeiro, há um cartório central onde há como se fazer esse reconhecimento geral de assinaturas... tanto dos diplomas, históricos das matérias, enfim, tudo que for relacionado com sua formação acadêmica. No caso da Docinho, o bicho pegou! Ela formou em outro estado... e não tínhamos ninguém por lá para nos ajudar, pois a figuraça nunca pegou o histórico das matérias! E aí? Por sorte uma amiga dela ia por lá e tudo foi solucionado meio via telefônica e meio via amiga. Neste ponto, loas para o pessoal burocra. Foram gente fina mesmo...

- o mais bizarro: sabe o seu diplominha, aquele mesmo que você usa há séculos para trabalhar e acha que tá bonito? Bem, DEPOIS de reconhecer a firma daquela gente toda em cartório, tem que levar no MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES DO BRASIL (MRE)  para que seja dado um visto deles no seu diploma (ué, penso eu, mas me formei em universidade federal, tudo sacramentado pelo MEC, tudo bonitinho, ainda assim tenho que ter o MRE reconhecendo meu diploma? TEM), histórico e tudo o mais, inclusive IDENTIDADE, CPF e etc, para que esses documentos possam ser reconhecidos como verdadeiros por QUALQUER governo estrangeiro. Graças a Deus o custo é zero, pois o serviço é "oferecido" de grátis pelo governo. Mas só há escritórios em SP, RJ, Brasília e Porto Alegre, se não me engano. Se estiver em outros lugares tem que mandar pelo CORREIO (que alegria, mandar TODOS os seus documentos por nossos confiabilíssimos correios... só de pensar me dá arrepios) para Brasília e eles te mandam de volta depois de alguns dias com os carimbinhos. E são carimbinhos mesmo. Nós fizemos uma parte  no MRE no Rio, entrega num dia e pega no outro. Outra parte teve que ser feita em BH, mas o procedimento foi idêntico.

- agora vai morrer num dinheirinho: tudo selado (no cartório, aqui também foi caro!), carimbadinho no MRE (grátis), tem que levar tudo no consulado português mais perto da sua residência e pagar CINCO EUROS por página de documento reconhecido!!! Pensa aí: diploma, histórico (várias páginas) e etc e tal. É feito na hora, ao menos em BH (tivemos que fazer lá em BH pois o diploma da Docinho era de Minas... e o negócio lá no MRE é "estado dependente", ou seja, o diploma foi emitido no RJ, tem que reconhecer no cartório do Rio e levar no MRE do Rio, em BH o que for de Minas e assim por diante. O que for de outros estados que não os listados lá em cima, vão pra Brasília (via correios!!!). 

ufa, feito tudo isso, já tínhamos a parte burocrática mais ou menos regularizada.

Daí por diante ficou um pouco mais fácil.

A Universidade de Coimbra permite o envio da documentação para inscrição nos mestrados via email - para posterior apresentação aqui. Eles demoram, mas cobram, então não queira dar balão! - e também fizemos as entrevistas via skype. Foram bem legais neste ponto.

Fácil?
Não.

Com tudo isso já estávamos em julho. As aulas começam em outubro. Tínhamos apenas 3 meses para esperar o resultado, entregar apartamento no Brasil, alugar apartamento em Coimbra, pagar as propinas (não é suborno, mas o "portuga" para mensalidades), passaportes (a Salgadinho e a Docinho não tinham passaportes e o meu tinha sumido - outra novela, mas essa eu conto depois), vender carro, pois não ia deixar o carro apodrecendo sem uso no Brasil por no mínimo 1 ano, arrumar um lugar para colocar os móveis e outras coisas que tínhamos que trazer, malas e tudo o mais. 

Bem, fomos fazendo tudo no escuro, pois por mais que insistíssemos os resultados só saíram em meados de agosto (da Docinho) e início de setembro (os meus). Quando os dela saíram fechamos que viríamos, mesmo se eu não fosse aprovado.

No fim de agosto comuniquei à proprietária que iríamos devolver o apartamento onde morávamos, botei o carro à venda, demiti a babá da Salgadinho (com aviso prévio a ser trabalhado), contratei a mudança das coisas para o local onde ficariam e já não tínhamos mais como voltar atrás!

(continua)

Abs

Coração


Nenhum comentário:

Postar um comentário