quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Acabando o Segundo Grau/Ensino Médio

Oi Galera,

Recebi hoje esta mensagem de um simpático e jovem seguidor do nosso blog (eu sempre retiro o nome das pessoas, pois não sei o grau de privacidade que desejam, ok?):

"Prazer, sou G., tenho 16 anos e estou desde já me preparando para o meu futuro. Primeiramente, peço desculpas por mandar um ''comentário'' assim, só me inscrevi no blog para manter contato com vocês e não sei muito bem como funciona. Eu tenho algumas perguntas a fazer e gostaria muito de um retorno, pois são duvidas cruéis. Obrigado desde já;

- É adequado acabar o Segundo Grau ( Ensino Médio) e já se mudar para Coimbra ? (Fazer Faculdade);

- Há muito preconceito com brasileiros ?

- Em suposição, eu indo assim que terminar o Terceiro Ano do Ensino Médio, o que, de documentos, preciso levar para apresentar e quais documentos preciso para ter um visto de residencia ai ?

Me encantei com a cidade, com a cultura e tudo mais, como eu digo: Quem tem um sonho, vai atrás. Desde já, obrigado por fornecer tantas informações detalhadas, ajuda muito e a... Parabéns pelo trabalho, muitos jovens como eu devem estar acompanhando esse blog também. Atenciosamente."

Eu, em geral, prefiro responder estas perguntas diretamente no blog, porque sempre acho que pode interessar a um bando de pessoas ao mesmo tempo. E assim disponibilizo para muita gente ao mesmo tempo.

Vamos aos fatos:

1) Sim, caro G, é adequado acabar o ensino médio no Brasil e vir fazer faculdade em Coimbra (ou no Porto, Lisboa, Aveiro...). Tem um bocado de brasileiros que fazem isso, seja a faculdade inteira, seja apenas uma parte (na Europa há um programa chamado Erasmus, que consiste numa espécie de intercâmbio de alunos entre faculdades. Não sei se os brasileiros entram exatamente neste programa, mas que tem um bocado de gente aqui fazendo o terceiro grau, isso lá tem). Embora Coimbra seja uma faculdade com grande prestígio no Brasil, em Portugal já não é assim tão reconhecida em várias áreas. Em Aveiro há uma ótima faculdade, assim como a Universidade Nova de Lisboa e a Universidade do Porto, estas são ótimas opções também;

2) Preconceito, há. Muito? Acho que não. Diminuiu bastante nos últimos tempos devido ao fato de que o Brasil está "bombando" e Portugal, não. Então o fluxo de imigração se inverteu e dezenas de milhares de portugueses estão querendo ir viver e trabalhar no Brasil hoje em dia, ao contrário de uns 3 anos atrás quando havia milhares de brasileiros aqui. Isso certamente ajudou. Mas ainda há um certo preconceito, sim. Plenamente superável. Mas vou fazer uma entrada no blog especificamente sobre o preconceito e sobre minhas idéias a respeito que poderão ser mais abrangentes;

3) eu não estou familiarizado, G., com os procedimentos de regularização do ensino médio aqui em Portugal. Quem poderá te informar com precisão sobre isso será o consulado português mais próximo da sua casa. Já te digo, entretanto, que a burocracia é grande. Por isso, não deixe para quando concluir o terceiro ano, já comece a providenciar a regularização dos OUTROS anos todos bem antes, deixando apenas a conclusão do curso do ensino médio para regularizar na última hora. Se deixar para fazer tudo no final, vai enrolar (e ficar caro, porque os custos não são baixos de legalizar toda a papelada);

4) quanto à SUA legalização aqui, isso não é tão complexo quanto as pessoas costumam pensar. Se tiver nacionalidade européia (o que não é complicado se tiver algum avô ou avó que tenha nascido em qualquer país europeu), o procedimento é zero. Basta vir e se apresentar na junta de freguesia (uma espécie de sub-prefeitura) mais próxima de casa e pedir o seu registro lá. Se não tiver dupla nacionalidade, apenas a brasileira, também não é difícil. Mas terá que comprovar que tem onde morar (algum parente dando uma carta de confirmação, ou contrato de aluguel...) e que tem renda para se manter (declaração de IR do seu pai/mãe dizendo que você é dependente dele...). Aí, de posse destes documentos, basta procurar o SEF (serviço de estrangeiros e fronteiras) em qualquer loja do Cidadão, que há em qualquer canto, e fazer o registro.

Se o seu sonho é viver na Europa, G., seja em Portugal ou em outro país qualquer, acho realmente uma excelente idéia vir estudar aqui, na universidade que escolher (e conseguir passar!). Com o diploma português você poderá trabalhar em qualquer país da UE (até porque com 5 anos de residência aqui já pode pleitear a nacionalidade portuguesa) ou mesmo em várias outras partes do mundo. É muito frequente feiras de empregos aqui em que empresas do norte da Europa (onde há grande carência de mão de obra especializada), de países árabes e da África (pagando "pouco"... coisa de uns 10.000 dólares por mês mais despesas, dependendo da área de atuação!) vêm literalmente caçar pessoas para seus países. Ou seja, com um diploma português de uma boa universidade, um bom conhecimento de línguas (sugiro de antemão ter um inglês EXCELENTE => não se deixe enganar por cursinhos de fundo de quintal => minha sugestão pessoal, procure o BRASAS mais perto da sua casa e faça um curso intensivo... funcionou muitíssimo bem para mim e vários amigos meus//// além do inglês, se souber alemão, espanhol e/ou francês, o mundo estará aberto para você!).

Quem sonha e batalha por seus sonhos vai longe. Seja um deles.
Mas vai ter que suar a camisa, amigo, porque o caminho é cheio de espinhos...

Boa sorte

Coração

PS: G., você não perguntou sobre custos, então presumo que disponha de recursos. Mas como nem todo mundo tá forrado nos euros, vamos a uma análise superficial da matéria:

1) moradia (e luz, gás, internet): se morar numa república dá uns 300 euros por mês. Se for morar sozinho num AP pequeno, com todos os encargos, aumente para uns 450. Há, ainda, os alojamentos da Universidade. São bons e MUITO baratos, mas difíceis de conseguir. Mas a economia seria sensacional, porque junto com o alojamento eles fornecem cartão de transporte público grátis, cartão de celular grátis, passe para as cantinas da faculdade e etc.

2) faculdade: pelo que vejo na TV as mensalidades das universidades públicas (aqui a pública é paga! Mais barata do que as privadas, mas é paga) gira em torno de 400 a 500 euros por mês. Não tenho idéia das privadas, mas sei que os custos para Medicina, por exemplo, são os mais elevados de todos.

3) comida: se não for um Monstro da Tasmânia, imagino que uns 100 a 150 euros por mês sejam mais do que suficientes.

4) transporte, livros e etc: vai depender muito de onde morar. Os estudantes em geral anda MUITO a pé e vivem perto de suas faculdades, portanto, varia demais. Livros... aqui o povo estuda por apostilas, acredite se quiser, e isso custa no máximo a impressão ou xerox. Livros mesmo há nas bibliotecas - que são muito boas - e portanto raramente é necessário comprar algum. Se precisar, também há inúmeras lojas de livros usados e em ótimo estado, inclusive na própria faculdade os alunos se organizam para vender seus livros usados para outros alunos que vêem a seguir, portanto, não é uma preocupação importante.

5) diversão: depende do seu "padrão".

No geral, aqui em Coimbra, posso dizer que com uns 750 euros um estudante estará MUITO bem (mensalidade da faculdade excluída, veja bem). Com 1.000 viverá bem, mesmo pagando deste dinheiro a mensalidade da faculdade.



Nenhum comentário:

Postar um comentário