quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Mosteiro de Celas (Santa Maria de Celas de Coimbra)

Oi Pessoal,

Já mencionei em algum lugar no passado sobre o bairro de Celas como uma boa opção para moradia, não foi? Bem, o bairro existe hoje onde antes havia as terras de um mosteiro fundado no século XIII pela filha do segundo rei português. Apesar do nosso tempo aqui já ser relativamente longo, alguns monumentos não tínhamos conseguido visitar, incluindo o Mosteiro de Celas (clique no link). Pois bem, há visitas guiadas ao mosteiro em algumas ocasiões do ano (vou falar mais sobre isso em um outro post) e nós, claro, lá estávamos! :)

Embora seja monumento nacional, está beeeeeeeeeeeeeeem derrubadão. A conservação é pouca e nitidamente não há atenção de manter o local adequadamente para os visitantes. De todas as formas, sendo o claustro o exemplar único em Portugal de arquitetura original ainda no local, vale a visita. Além disso, a capela é bem bonitinha, embora também meio mal conservada. 

Interessante saber - segundo a nossa guia - que houve monjas emparedadas, ou seja, elas VOLUNTARIAMENTE escolhiam serem aprisionadas nas paredes do convento, mantendo-se apenas uma abertura para o exterior de forma a receberem o mínimo de água e comida, vivendo ali aprisionadas na parede pelo restante de suas vidas!

Doidera! 

Enfim, fomos e a visita foi bem legal - apesar do estado geral do mosteiro - em função de ter sido guiada e com ótimas informações da guia oficial da Câmara de Coimbra. Durou duas horas e valeu cada minuto.

Abaixo vão as fotos.

Abs

Coração
















































2 comentários:

  1. muito interessante. realmente poderia estar mais conservado e me pergunto, o q seria ficar emparedadas? seria ficarem dentro do "quarto/cela" sem sair pra nada? como assistiam as missas? gostei das colunas esculpidas no topo. os jardins internos e a capela e suas abóbodas são bem legais. obrigada por dividir cultura. -

    (uma vez me disseram q quando se entra em algum cômodo de qualquer casa, o primeiro q se olha é pro teto. talvez por isso todas as igrejas e palácios têm os tetos magnificamente trabalhados?)

    ResponderExcluir
  2. De nada.

    Provavelmente eram emparedadas nas paredes das próprias capelas, pois uma vez emparedadas nunca mais saiam dali até morrerem. E quando morressem eram sepultadas "no local", ou seja, simplesmente fechavam as passagens e estava feita a sepultura. Outras eram enterradas no chão onde houvesse o maior tráfego de pessoas, pois uma das coisas que faziam para se "penitenciar" era justamente serem pisadas pelas pessoas por toda a eternidade! Coisas da fé...

    Quanto aos tetos, não acho que seja por isso, mas sim porque os fiéis ao se ajoelharem para rezar normalmente olham para cima e os tetos seriam representações dos céus e sua magnificência. Ademais, esse costume de igrejas deslumbrantes e riquíssimas só começou com a Contra-Reforma como forma de impressionar as massas com a opulência dos céus. Até então (como se pode ver nas igrejas mais antigas - Santiago de Compostela, Sé de Lisboa, Sé de Coimbra, Notre Dame e etc) as igrejas eram praticamente ascetas.

    Abs

    Coração

    ResponderExcluir