segunda-feira, 7 de julho de 2014

Povo triste

Gente,

Com praticamente 4 anos de Portugal acho que já podemos traçar um perfil do povo português relativamente bem acurado. E de tudo, por tudo e com tudo, a característica mais marcante da personalidade portuguesa e com grande peso para nós, estrangeiros, é sem sombra de dúvidas a sua tristeza e melancolia. 

Eita povo triste!!!

Sabe aquela tristeza que ouve no Fado? Não é retórica! É permanente, permeia a vida deles, está em tudo e em todas as horas... mesmo nas festas, mesmo nos momentos de júbilo há sempre uma tristeza de fundo que não some.

Isso se reflete em muitos aspectos da vida (deles e nossa):

1) reclamam por tudo, com tudo e de tudo, sempre, claro, culpando o outros por alguma coisa (e estes "outros" podem ser os estrangeiros ou os bancos ou os do sul ou os do norte ou qualquer outro que não "eles"... monte a frase e haverá sempre uma forma de encaixar este "sujeito" nela);

2) silêncio. Bom por um lado, mas ruim por outro, o silêncio com que levam a vida é uma constante. Se for num bar, seja de jovens ou não, ao contrário do zum-zum-zum normal de se ouvir neste tipo de ambiente, terá praticamente um ambiente de "restaurante de luxo" no Brasil. Já estive em bares em muitos países, mas jamais vi algo parecido... se por um lado é bom, afinal, pode-se conversar à vontade, por outro tira boa parte do tesão de estar num bar, em especial na noite ou num dia de jogo... parece um velório;

3) falta de vivacidade no convívio. A maior parte dos brasileiros que conhecemos aqui vive em círculos de amigos brasileiros. E isso NÃO é por preconceito, mas simplesmente porque é complicadíssimo fazer amizade com os portugueses e, mais ainda, conviver com o estilo "morto" deles. Assim, os brasileiros acabam se relacionando com outros brasileiros ou estrangeiros em geral (ao contrário do que as pessoas pensam, os alemães, noruegueses, holandeses e etc são BEM barulhentos e vivazes).

4) falta de gentileza. Por serem introspectivos por definição - característica em geral também associado com tristeza, embora não necessariamente presente naquela - eles são totalmente voltados para dentro. Mal te vêem. Não se cumprimentam entre si, menos ainda nós, os de fora. 

Nós não tivemos ainda oportunidade - e, honestamente, não queremos ter!! - de ir na leva migratória das aves portuguesas para sua reprodução no Algarve em agosto (ver post relativo a isso... é bem interessante), mas imagino que lá as coisas possam ser um pouco diferentes. Afinal, migrar tem que ter suas vantagens, né?! E como arrumar um par nesta introspecção triste?? Difícil... Quem sabe a felicidade portuguesa não está toda no Algarve?

Abs

Coração

Um comentário: